A galinha-d'angola

Vinicius de Moraes

Coitada Da galinha- D’angola Não anda Regulando Da bola Não para De comer A matraca E vive A reclamar Que está fraca: — “Tou fraca! Tou fraca!”