Meu pai, dá-me os teus velhos sapatos manchados de terra...

Vinicius de Moraes

Meu pai, dá-me os teus velhos sapatos manchados de terra  Dá-me o teu antigo paletó sujo de ventos e de chuvas  Dá-me o imemorial chapéu com que cobrias a tua paciência  E os misteriosos papéis em que teus versos inscreveste.  Meu pai, dá-me a tua pequena chave das grandes portas  Dá-me a tua lamparina de rolha, estranha bailarina das insônias  Meu pai, dá-me os teus velhos sapatos.