Ao sono que vence-o...

Vinicius de Moraes

Ao sono que vence-o  Quando a noite cai  Num canto da sala  Dormindo em silêncio  Repousa meu pai  E eu me deixo a vê-lo  Sossegado, até  Quando minha mãe  E as duas meninas  Saem pé ante pé  Soltando o cabelo  Cerrando as cortinas.