Eu creio na alma...

Vinicius de Moraes

Eu creio na alma  Nau feita para as grandes travessias  Que vaga em qualquer mar e habita em qualquer porto  Eu creio na alma imensa  A alma dos grandes mistérios  A grande alma que em vão busquei sufocar  Eu creio na alma eterna  A alma boa, a alma pura, a alma singela  A alma que possui o espaço  A alma que não possui o tempo  A grande alma sozinha  Capaz de conter toda a humanidade  Senhor! Eu creio nela  Eu creio na minha alma extraordinária  Ela era como o templo  Onde os vendilhões mercadejavam  Ela expulsou os vendilhões, Senhor!  E os pássaros cantaram.  Eu creio na alma grande  Em busca dum élan que a lance sempre  Para o eterno movimento  A alma espelho das águas  Onde o céu reflete os pássaros que voam  Eu creio em ti, Senhor  Porque és a alma que é o céu onde os pássaros voam  E que se reflete no espelho das águas  Porque és a grande alma que paira  Eu creio em mim, Senhor  Porque sou alma feita à tua semelhante  Grande alma onipotente  Que no começo era o nada  O nada - vazio das almas  O nada cheio de treva e maldição  Mas o espírito erguia-se do caos  E a treva fez-se luz  A luz cheia de átomos de vida  A luz - a grande luz que sobe sempre.